-A A +A
Alegre - ES

Regulamentação

I – DA CARACTERIZAÇÃO DO ESTÁGIO

Art. 1º - A disciplina Estágio Supervisionado em Engenharia Química compreende um estágio curricular supervisionado do Curso de Engenharia Química do CCAE/UFES, que se constitui como parte de sua estrutura curricular, sendo de caráter obrigatório, com carga horária e duração determinada neste projeto.

Art. 2º - O estágio caracteriza-se como um conjunto de atividades de aprendizagem profissional e de ensino sob a forma de ações instituídas, devidamente orientadas, acompanhadas e supervisionadas pela Universidade.

Art. 3º - A programação e o planejamento do Estágio Supervisionado em Engenharia Química devem ser elaborados em conjunto pelo aluno, professor e profissional supervisores, e resultar em um plano de trabalho em estágio.

 

II – DOS OBJETIVOS DO ESTÁGIO

Art. 4º - Os estágios têm como objetivo:

I.   possibilitar a formação em ambiente institucional, empresarial ou comunitário em geral;

II. propiciar a interação com a realidade profissional e o ambiente de trabalho;

III. integrar os conhecimentos de pesquisa, extensão e ensino em benefício da sociedade, de acordo com a realidade local e nacional;

IV. desenvolver concepção multidisciplinar e indissociabilidade entre teoria/prática;

V. garantir o conhecimento, a análise e aplicação de novas tecnologias, metodologias, sistematizações e organizações de trabalho;

VI. possibilitar o desenvolvimento do comportamento ético e compromisso profissional, contribuindo para o aperfeiçoamento profissional e pessoal do estagiário;

VII. possibilitar a avaliação contínua do respectivo curso subsidiando o colegiado de curso com informações que permitam adaptações ou reformulações curriculares;

VIII. promover a integração do CCAE/UFES com a sociedade.

 

III – DO CAMPO DE ESTÁGIO

Art. 5º - Os estágios serão executados em órgãos públicos e instituições de direito privado, desde que apresentem condições necessárias e adequadas para a formação profissional do estagiário.

Art. 6º - Para a realização do estágio é exigido que a entidade concedente:

I.   possua infraestrutura material e recursos humanos que garantam a supervisão e as condições necessárias para a realização do estágio;

II.  aceite a supervisão e avaliação da Universidade Federal do Espírito Santo;

III. aceite as normas que regem os estágios da Universidade Federal do Espírito Santo;

IV. use os modelos de formulários propostos pela UFES para as assinaturas de convênios, termos de compromisso e termos aditivos.

 

IV – DAS CONDIÇÕES PARA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO

Art. 7º - Os estágios poderão ser realizados durante o período letivo ou nos períodos de férias acadêmicas, preferencialmente em período diurno.

§ 1º. O graduando deverá ter concluído um mínimo de 120 créditos. Para o estágio não obrigatório, é necessário também coeficiente de rendimento (CR) mínimo de 6. 

§ 2º. O graduando deverá apresentar ao professor da disciplina o plano de trabalho de estágio obrigatório no prazo máximo de 10 dias após iniciar suas atividades de estágio, para apreciação e aprovação.

§ 3º. O graduando deverá apresentar toda a documentação necessária para a efetivação do estágio, incluindo a concordância do Coordenador de Estágio do Curso e do Professor Supervisor (no caso de estágio obrigatório) para realizar o estágio sob estas condições;

§ 4º. O graduando deverá realizar o Estágio Supervisionado em Engenharia Química em um único ambiente institucional e em período contínuo. 

Art. 8º - A carga horária do Estágio Supervisionado Obrigatório em Engenharia Química deverá compreender um total mínimo de 195 horas, sendo 30 horas para orientação, reuniões entre o graduando e o professor supervisor no âmbito interno ao CCAE/UFES, e apresentação e discussão do relatório final. Já na instituição onde será realizado o estágio, deverão ser cumpridas as demais 165 horas necessárias à conclusão da disciplina Estágio Supervisionado em Engenharia Química.

§ 1º. A carga horária excedente às 195 horas poderá ser aproveitada como atividade complementar mediante aprovação do Colegiado do Curso.

 

V – DO PLANO DE TRABALHO EM ESTÁGIO OBRIGATÓRIO

Art. 9º - O plano de trabalho, elaborado conjuntamente pelo graduando, professor supervisor e profissional supervisor, tem por finalidade planejar as atividades a serem desenvolvidas e demonstrar, em linhas gerais, o que pretende fazer (atividades), como fazer (metodologia) e para que fazer (objetivo). Deve ser considerado que uma boa elaboração do plano de trabalho é fundamental, pois servirá de base para a redação do futuro relatório de estágio, auxiliando o trabalho do graduando.

 

VI – DA DISTRIBUIÇÃO DAS TURMAS E DOS ESTAGIÁRIOS

Art. 10 – A disciplina terá turma única, sem limite de alunos.

 

VII – DO CANCELAMENTO DO ESTÁGIO

Art. 11 - O estágio poderá ser cancelado por um dos seguintes motivos:

a) a pedido do estagiário, devidamente justificado;

b) em decorrência do descumprimento, por parte do estagiário, das condições presentes no termo de compromisso;

c) por conclusão ou interrupção do curso;

d) a qualquer tempo no interesse da unidade concedente ou da UFES, com a devida justificativa.

 

VIII – DA SUPERVISÃO DO ESTÁGIO

Art. 12 - A supervisão de estágio obrigatório realizar-se-á por meio de orientação, acompanhamento e avaliação das atividades do plano de trabalho.

§ 1º. O professor supervisor poderá desempenhar o papel de profissional supervisor para algumas áreas específicas de oferta de estágio no âmbito do CCAE/UFES, independentemente da modalidade de estágio.

§ 2º. O professor supervisor ou o profissional supervisor será de área afim àquela do curso do estudante.

Art. 13 - O acompanhamento do estágio pelo professor supervisor dar-se-á em uma das seguintes formas:

a)  presencial – acompanhamento sistemático, com frequência mínima semanal, do estagiário na execução das atividades planejadas, podendo complementar-se com outras atividades na Universidade Federal do Espírito Santo e/ou no local de estágio;

b)  semipresencial – acompanhamento por meio de visitas periódicas ao local do estágio pelo professor supervisor, o qual manterá contatos com o profissional supervisor e com o estudante, para implementar as possíveis complementações;

c)  não presencial – acompanhamento por meio de reuniões e de relatórios parciais e final elaborados pelo estagiário, com a ciência do profissional supervisor. Poder-se-ão programar reuniões e visitas com o profissional supervisor para redirecionamentos julgados necessários.

 

IX – DA ATRIBUIÇÃO DE CARGA HORÁRIA À SUPERVISÃO

Art. 14 - A supervisão do estágio obrigatório é uma atividade de ensino constante da carga de trabalho do professor supervisor e do departamento no qual ele está alocado.

§ 1º. A carga horária semanal do professor supervisor que acompanha presencialmente o aluno no campo de estágio ou desenvolve uma atividade tutorial será de um quarto de hora por aluno, saturando em 2h.

 

X – DA APRESENTAÇÃO ESCRITA DO RELATÓRIO FINAL DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO

Art. 15 - O estagiário deverá elaborar um relatório referente ao estágio, onde registrará os resultados do que foi previsto no plano de trabalho e as ações vivenciadas na empresa/instituição onde permaneceu. O relatório será redigido individualmente pelo estagiário e deverá obedecer a uma sequência lógica e bem elaborada dos elementos constitutivos a serem trabalhados, utilizando todos os recursos disponíveis e a criatividade para produzir um relatório com qualidade.

Parágrafo único - O modelo para redação do relatório é o proposto pelo Colegiado do Curso.

 

XI – DA AVALIAÇÃO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO

Art. 16 - A avaliação do estagiário deverá ser processual de caráter qualitativo e será feita pelo professor supervisor, devendo contar com a participação do profissional supervisor e do estagiário. Serão consideradas as várias atividades realizadas pelo estagiário, como apresentação do plano de trabalho, desempenho durante o desenvolvimento do estágio e, ao término do mesmo, a apresentação de um relatório circunstanciado das ocorrências vivenciadas.

Parágrafo único - É direito do estagiário conhecer os critérios usados e os resultados obtidos nas avaliações parciais e receber orientações que possam ajudá-lo no desenvolvimento de suas atividades.

Art. 17 - Para obter aprovação na disciplina Estágio o estudante deverá:

a) entregar ao professor da disciplina o plano de trabalho e o relatório final de atividades dentro dos prazos determinados;

b) ter frequência mínima de 75% da carga horária de disciplina, atestada no relatório final de atividades;

c) apresentar média final na disciplina igual ou superior a 7,0 (sete). A média final (MF) será obtida pela seguinte expressão:

     MF = NP (0,40) + NPS (0,60), onde:

     NP = nota do Professor Supervisor

     NPS = nota do Profissional Supervisor

Parágrafo único - Em caso de obtenção de média final inferior a 7,0 (sete), o graduando será reprovado (conceito RP) e, nessa situação, não haverá recuperação, tendo o aluno que cursar novamente a disciplina.

 

XII – DA ESTRUTURA ADMINISTRATIVA

Art. 18 - Compete ao Coordenador de Estágio do Curso:

a) elaborar e divulgar aos estudantes e professores a Política de Estágios do Curso contendo diretrizes e normas a serem cumpridas;

b) promover semestralmente um fórum de discussão, incluindo palestras, seminários e outras atividades, com o objetivo de divulgar, orientar e conscientizar o corpo discente sobre a política de estágio na UFES e sua pertinência à formação profissional;

c) elaborar formulários para planejamento, acompanhamento e avaliação de estágio de acordo com a especificidade do Curso;

d)  estabelecer, em comum acordo com o departamento de ensino envolvido, o número de estudantes por professor supervisor, conforme as características do curso, da disciplina e dos campos de estágio;

e) garantir contato presencial semestral com as unidades concedentes de estágio, com o objetivo de avaliar as condições de realização das atividades propostas nos termos de compromisso firmados entre as partes;

f) elaborar, avaliar e propor aperfeiçoamentos das Normas de Estágio do Curso.

Art. 19 - Compete ao professor supervisor:

a) planejar, acompanhar e avaliar as atividades de estágio, junto à Coordenação de Estágio do Curso, ao profissional supervisor e ao estagiário;

b) esclarecer ao estudante e ao profissional supervisor, o processo de avaliação do estágio;

c) manter contatos permanentes com o profissional supervisor de estágio;

d) providenciar reforço teórico para os estagiários, quando necessário;

Art. 20 - Compete ao profissional supervisor de estágio na instituição concedente:

a) participar do planejamento e da avaliação das atividades desenvolvidas pelo estagiário;

b) inserir o estagiário em unidade concedente, orientá-lo e informá-lo quanto às normas dessa unidade;

c) acompanhar e orientar o estagiário durante a realização de suas atividades;

d) informar ao professor supervisor sobre a necessidade de reforço teórico para elevar a qualidade do desempenho do estagiário;

e) preencher os formulários de avaliação do desempenho do estagiário e encaminhá-los ao professor-supervisor.

Art. 21 - Compete ao estagiário:

a) seguir as normas estabelecidas para o estágio;

b) participar do planejamento do estágio e solicitar esclarecimento sobre o processo de avaliação de seu desempenho;

c) solicitar orientações do profissional supervisor e do professor supervisor para sanar as dificuldades encontradas no desenvolvimento de suas atividades de estágio;

d) sugerir modificações na sistemática de estágio com o objetivo de torná-lo mais produtivo;

e) solicitar mudança do local de estágio, quando as normas estabelecidas e o planejamento do estágio não estiverem sendo seguidos;

f) preencher os formulários de avaliação de desempenho do estagiário e, após a ciência do profissional supervisor, encaminhá-los ao professor supervisor.

 

XIII – DAS DISPOSIÇÕES FINAIS

Art. 22º. No caso do aluno estar matriculado apenas na disciplina de Estágio Supervisionado em Engenharia Química, este poderá cumprir 40h semanais de atividades.

§ 1º. No caso do aluno estar matriculado também na disciplina Trabalho de Conclusão de Curso II, este poderá cumprir 40h de estágio contanto que haja anuência do orientador do projeto de conclusão de curso.

Art. 23º. Os casos omissos serão apreciados pelo Colegiado de Curso de Engenharia Química do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Espírito Santo.

 

Anexo(s): 
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Alto Universitário, s/nº - Guararema, Alegre - ES | CEP 29500-000